Hoje, com a tecnologia integrando praticamente todos os processos, com equipes multiculturais nas empresas e a diminuição dos encontros e reuniões presenciais, a inteligência emocional se faz mais que necessária.

Profissionais que utilizam bem sua inteligência emocional tendem a crescer rapidamente na carreira e desenvolvem muito bem sua capacidade de liderança, já que com ela é possível reconhecer com facilidade as emoções de outras pessoas, levando a relacionamentos mais saudáveis.

Nesse sentido, a capacidade de equilibrar, identificar, compreender e utilizar nossas emoções está totalmente ligada à nossa inteligência emocional, permitindo que uma pessoa se comunique corretamente, tenha empatia, gerencie crises e desenvolva soluções de forma positiva. Afinal, tudo fica mais fácil quando compreendemos as nossas emoções e as dos outros, não é mesmo?

Diante deste contexto, a inteligência emocional afeta, diretamente, diversos aspectos da nossa vida social e profissional, influenciando nas formas de interação do indivíduo e de comportamento também. Ela pode ajudar o profissional a motivar a equipe, por exemplo, proporcionando o desenvolvimento do autoconhecimento, e o conhecimento das nossas próprias emoções, pensamentos, comportamento, autocontrole, controle de impulsos e emoções, principalmente frente a momentos de crises.

Portanto, a falta de inteligência emocional pode impactar desde o desenvolvimento profissional da pessoa, até sua saúde física, gerando quadros de estresse, descontrole da pressão arterial, problemas cardíacos e atua, inclusive, derrubando o sistema imunológico.

Frente a isso, destacamos cinco dicas que irão lhe ajudar no desenvolvimento de sua inteligência emocional. Vamos lá:

1 – Aprenda a identificar as suas emoções

Nosso cérebro computa todas as informações que recebe através dos nossos sentidos. Quando estamos frente a um problema grande ou uma situação de estresse o instinto assume nossa capacidade de agir. Quando aprendemos a nos conectar com estes sentidos podemos passar mais tranquilidade ao nosso cérebro e, automaticamente, nossa reação à situação será mais racional. Identificando nossas emoções conseguimos deixa-las equilibradas. Isso é um exercício que deve ser feito frequentemente.

2 – Analise seu comportamento

Quando conseguimos ter um olhar crítico sobre nós mesmos, caminhamos diretamente ao autoconhecimento. Com o tempo nós sabemos de que forma reagimos a cada tipo de situação e podemos reconhecer nossas reações negativas e não repeti-las. Dentre as principais está o impulso. Quanto menos impulsivo o profissional puder ser, melhor. Com o reconhecimento das nossas reações, conseguimos dominar nossos impulsos e manter a calma durante situações complexas.

3 – Aprenda a lidar com a pressão

Nós sabemos que todos os dias de trabalho não são perfeitos e calmos. Em ambientes organizações, muitas vezes, há pressão, cobranças e muito estresse. Quando você controla suas emoções, evita que esse tipo de situações controle suas ações. Domine o medo e as incertezas, aumente sua autoconfiança acreditando no seu potencial e nas suas habilidades. O foco e a concentração ajudam a manter a calma nesses momentos.

4 – Saiba dominar o estresse

É muito comum encontrar profissionais que apliquem seus problemas de saúde ao seu ritmo e formato de trabalho. Existem muitas atividades que podem ajudar a combater o estresse e outras diversas que ajudam o profissional a se expressar. Tem gente que recorre a atividades físicas, a hobbies e até ao voluntariado. Você com certeza vai encontrar algo que se torne sua “zona de conforto”.

5 – Aproveite o feedback

É difícil se conhecer, reconhecer os próprios erros, falhas, pontos positivos e negativos. Uma ferramenta que pode ajudar com isso é o feedback. Quando outra pessoas aponta o que pode ser melhorado fica mais fácil compreender onde estamos errando, porque é uma visão externa. Use o feedback como uma carga motivacional.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.